Não será nada fácil para o governo Bolsonaro despetizar o Ibama, o ICMBio e, principalmente, as redações dos grandes veículos, que todos os dias criam factoides, incluindo denúncias em nível internacional, como se o governo que recém começou, estivesse voltado apenas para a destruição ambiental. Baseados no exagero – e obviamente em mentiras, embora haja sim números preocupantes, que não podem ser ignorados -  esses grupos reúnem cientistas de vários países para ameaçar o nosso país, pedindo que não se comprem mais nossos produtos, porque estaríamos propensos a simplesmente destruir as florestas, embora o Brasil seja um exemplo de preservação no mundo. Como pano de fundo, além de ideologias doentias, está a disputa pelo comércio mundial de produtos agropecuários, onde nosso país avança cada vez mais sobre o mercado que era dominado por economias centenárias, tradicionais, que destruíram grande parte do todo o seu ambiente e que agora querem vomitar leis sobre como devemos gerir nossa terra. O agronegócio brasileiro já incomoda muitos países, onde "cientistas" se unem a gente daqui mesmo, que prefere ver nosso país sucumbir, do que aceitar que estamos melhorando, depois de nos livrarmos, finalmente, de um grupo de ladrões, corruptos, assaltantes dos cofres públicos, ideólogos da sacanagem e da mutretagem.

Enquanto isso, o ministro do meio Ambiente, Ricardo Sales, a quem a esquerda odeia, foi bem claro: o Ibama e o ICMBio foram os órgãos do governo com o maior aparelhamento ideológico entre todos. A petezada tomou conta de tudo, abrindo caminho para contratação de apaniguados e deixando os técnicos, os que realmente têm valor para ajudar o país a cuidar dos problemas ambientais,  para os dois órgãos, num segundo plano. Sales disse que o Ibama e o ICMBio eram ligados, mas a separação, feita quando Marina Silva (que Deus nos livre!) era ministra, foi uma decisão apenas ideológica e política, para inchar os dois órgãos de amigos, amigos dos amigos e amigos dos amigos dos amigos. Sempre de olho no domínio político e na próxima eleição. Agora, bateu o desespero. Centenas de apadrinhados petistas e parceiros já foram demitidos. A "limpa" vai ainda muito mais longe. Corte nos cargos comissionados e da "cumpanheirada", obviamente, é um dos grandes motivos para a guerra contra as medidas do governo Bolsonaro. Caiu 25 por cento o orçamento do Ibama. Fiscais do órgão estão sendo proibidos de queimar máquinas, caminhões e equipamentos, coisa que muitos faziam com prazer, porque coaduna com sua ideologia, não importando se isso seja correto moralmente e seja bom ou não para o país. A moleza está acabando. O meio ambiente é coisa séria e será assim tratada. A verdade é que estamos indo no caminho certo. Vão ter que engolir esse novo Brasil, melhor e mais decente, malandros!






GOVERNO E ASSEMBLEIA: JOGO DE XADREZ

Há os dois lados. Num deles, o governo  Marcos Rocha comemora que está conseguindo uma base aliada na Assembleia Legislativa que pode chegar a 18 deputados. É o que se ouve nos bastidores do Executivo. Conversações com  grupos de deputados estariam muito avançadas. E, em todas elas, segundo palavras do próprio Governador, não houve qualquer alusão ao tradicional toma-lá-dá-cá, que poderia lembrar a velha forma de acordos políticos do passado. No outro lado, ao menos nos gabinetes e nos bastidores da Assembleia Legislativa, não se ouve o mesmo otimismo, ao menos com relação ao número de apoiadores que teria o Poder Executivo, dentro do parlamento. Saberemos qual o cálculo certo e a situação real  em breve,   quando começar a votação de uma série de projetos do maior interesse do Executivo e que servirão de base para novas transformações que Rocha pretende aplicar em sua administração. Uma das adesões importantes ao grupo governista, contudo, não há como negar é o deputado Alex Redano, já eleito Presidente para os últimos dois anos da atual gestão na Assembleia, que foi convidado e aceitou ser o vice-líder do Governo no parlamento, Eyder Brasil continua como líder. O presidente Laerte Gomes, até agora, não tem participado das reuniões e conversações e se mantido  numa posição equidistante em relação à convivência entre os dois poderes. O jogo de xadrez da política ainda está indefinido. Em breve se saberá, com certeza, quem está ou estará ao lado de quem...



A HOMENAGEM VEIO DO PÚBLICO

Impressionante como o radialista, jornalista e empresário de comunicação Everton Leoni é querido pelo rondoniense. Depois de um sofrimento de 14 anos, em que foi envolvido na Operação Dominó, por ilegalidades que jamais cometeu, Everton foi absolvido pelo Tribunal de Justiça. Ele e Nereu Klosinski foram os dois únicos deputados da época isentos de algum tipo de culpa. Desde o momento em que a sentença foi anunciada, Everton não parou de receber mensagens de solidariedade, apoio, carinho, homenagens. Foi um calvário que ele certamente não gostaria que ninguém passasse e um sofrimento que envolveu não só sua vida profissional, como família, amigos e fãs. Claro que aqui e ali, algumas poucas pessoas, movidas pela inveja e pela maldade, tentaram ainda destilar ódio e veneno, no episódio. Mas foram tão poucas, num mar de solidariedade e apoios, que esses idiotas passaram ao largo e ficarão, como sempre fica gente deste tipo, entalados no lixo da história. Apresentador de programas de rádio e TV há mais de três décadas, Everton cativou um grande público, sempre fazendo um jornalismo decente e programas de entretenimento para milhares e milhares de ouvintes e telespectadores. Atualmente, um dos destaques da sua vitoriosa carreira, é o programa jornalístico SIC News, que tem, em média, 80 mil telespectadores por minuto, só em Porto Velho, segundo o Ibope. Precisa dizer mais?


OS SUPER HERÓIS E O MINISTÉRIO PÚBLICO

Foi um mico nacional. Um vídeo, colocado no ar na página oficial do Ministério Público de Rondônia virou piada. Ao que parece sem o aval do procurador geral e  da equipe de Comunicação do MP, alguém teve a brilhante ideia de criar uma paródia, transformando os membros do poder em super heróis da turma dos Vingadores, da Marvel. Com legendas e uma dublagem muito esquisita, falando em combate à corrupção e mostrando os promotores como grandes heróis, do grupo que salva o Planeta da destruição, o vídeo acabou chegando às mãos do jornalista Reinaldo Azevedo, um dos mais críticos do país. Ele  o postou em seu canal do You Tube e, é claro, teve repercussão imediata. Horas depois, o estranho vídeo foi tirado do ar. Na noite da sexta, o procurador geral, dr. Airton Marin Filho divulgou uma nota, dizendo que o vídeo foi divulgado sem autorização da administração superior do MP e determinada sua retirada das mídias sociais. "O Ministério Público não pode ser confundido com personagens de ficção, pois sua luta acontece no dia a dia", escreveu. Certamente que não é nada de tão grave, mas é um risco que eventualmente alguém possa publicar algo na página do MP rondoniense, sem o conhecimento do comando do órgão. Ainda bem que tudo ficou no mundo do bom humor e não se levou tão a sério. Mas certamente serviu como lição...


"TENHO CERTEZA QUE A 319 SERÁ ASFALTADA"

"Pode ter certeza: essa rodovia, a BR 319, será sim asfaltada. Não tenho a menor dúvida disso". A afirmação foi feita à coluna pelo governador Marcos Rocha, pouco depois que ele leu, aqui mesmo, as imensas dúvidas de que a estrada que nos liga a Manaus seria um dia concluída. Sem dar maiores detalhes, sabe-se que a BR 319 tem sido um dos temas recorrentes que o Governador rondoniense tem tratado com autoridades federais, a começar pelo próprio presidente Jair Bolsonaro. Rocha está otimista e acha que, em breve, se terá noticias positivas sobre o asfaltamento dos 900 quilômetros da BR, que sai de Porto Velho, no entroncamento com a BR 364 e vai até Manaus. Há sim, aqui e ali, alguma movimentação em termos de recomeço dos trabalhos. O senador Acir Gurgacz anunciou, nessa semana, que as obras recomeçam em alguns trechos. O problema todo é que as forças contrárias a uma BR asfaltada e ligando duas das capitais mais importantes de toda a região amazônica, são tão poderosas que não se sabe, até hoje, quem poderá confrontá-las, já que, ao menos nos últimos 20 anos, elas, essas forças, que não são ocultas (pelo contrário, todos sabem quem são!) não permitiram que essa rodovia vital para todos nós fosse transformada numa BR decente e trafegável. Marcos Rocha garante que a obra sai. Tomara que ele esteja certo. Mas, um cético, como esse colunista, prefere ainda ver, antes de crer!


TRANSPARÊNCIA EXAGERADA

O SEI  (Sistema Eletrônico de Informações) do Governo de Rondônia é um projeto bastante positivo, para dar ampla, geral e irrestrita transparência a todos os atos e em todas as áreas. Com uma senha, qualquer rondoniense tem acesso à informação que quiser, sobre praticamente tudo o que gira no entorno do Executivo. Não é à toa que Rondônia é considerado um dos Estados mais transparentes do país. Mas...há alguns exageros que precisam ser corrigidos. Dois deles foram denunciados essa semana pelo site Rondônia Dinâmica. Em ambos, o exagero da informação pode causar graves prejuízos. Um dos casos é que, no SEI, se pode descobrir nome, CPF, endereço residencial e outros dados pessoais de todos os Policiais Militares que atuam no Estado. Com a foto deles. Num país em que PMs escondem suas fardas antes de chegar em casa, para que os bandidos que moram perto não desconfiem da atividade profissional deles, é um exagero ter esse tipo de transparência, que põe em risco a vida de servidores da segurança pública. O secretário da Sesdec, José Pachá, já proibiu essa prática. O outro caso também é grave, mas esse já foi corrigido. No SEI, havia uma relação detalhada, com nomes e dados pessoais, de todos os que estão sob tratamento contra a AIDS, feito pela Secretaria da Saúde. Transparência sim, mas com exageros como esses, não se pode concordar.


A TECNOLOGIA TIRARÁ O CHARME?

Pode ser gol. Pode não ser. Pode ser pênalti. Pode não ser. O brutamontes que fez uma falta duríssima pode ser expulso, mas, em seguida, pode voltar ao jogo. O gol comemorado pode não valer. O pênalti que causou vibração numa torcida e pânico na outra, pode não ser batido. Enfim, o futebol, maior paixão do nosso país, está mudando mesmo. Será que para melhor? Os eventuais erros de arbitragem, diga-se de passagem sempre para os dois lados, não fazem parte do esporte mais popular? Xingar o juiz e toda a sua família, protestar contra lances duvidosos, berrar contra o gol em impedimento; exigir a marcação de um pênalti claro não dado, tudo isso não faz parte da história, do charme, da paixão pelo futebol? Muitas respostas para essas perguntas começarão a ser dadas a partir deste final de semana, quando começa a edição deste ano do Campeonato Brasileiro. Todos os jogos terão o VAR, aquele pacote tecnológico que pretende baixar a zero os erros de arbitragem. Isso não vai tirar um pouco do brilho dos jogos e da vibração que eles causam? Ou o raciocínio está incorreto? Vamos ver nas primeiras rodadas se será o juiz ou o VAR quem decidirá o resultado final das partidas.


PERGUNTINHA

Se você foi o sortudo que ganhou os 105 milhões de reais da Mega Sena, neste final de semana, o que está fazendo ainda por aqui, ao invés de já estar saindo mundo afora, para gastar toda essa grana?

Fonte: Mias Rondônia