Ligação foi feita para mulher do político, após morte do pai dela. Juíza investiga 'possíveis regalias' e pediu explicações sobre episódio; SSP não quis comentar.
BRASÍLIA - DF - Informações internas do sistema do Complexo da Papuda obtidas pela TV Globo mostram que o senador Acir Gurgacz (PDT-RO) foi autorizado pelo subsecretário do Sistema Penitenciário do Distrito Federal, Adval Cardoso, a fazer uma ligação de celular de dentro do presídio (veja documento abaixo). A ligação foi feita para a mulher do político, após a morte do pai dela.



A ordem para liberar o telefonema é alvo de questionamentos por parte da juíza da Vara de Execuções Penais (VEP), Leila Cury. Procurada, a Secretaria de Segurança Pública do DF (SSP) não quis comentar o caso e disse que “atenderá às demandas formais da Justiça para os devidos esclarecimentos”.



À reportagem, a assessoria do senador Acir Gurgacz disse que não houve "nenhuma regalia" no caso. "É o mínimo, visto que não autorizaram sua saída para ir ao velório e sepultamento [do sogro]".



O político está está preso no Complexo Penitenciário da Papuda, em Brasília, desde outubro do ano passado. Ele responde por crimes contra o sistema financeiro.



Relatório interno sobre ligação do senador Acir Gurgacz (PDT-RO) para a família — Foto: Reprodução

Relatório interno sobre ligação do senador Acir Gurgacz (PDT-RO) para a família — Foto: Reprodução

Relatório interno sobre ligação do senador Acir Gurgacz (PDT-RO) para a família — Foto: Reprodução




Segundo o relatório interno da penitenciária, por causa da morte do sogro de Gurgacz, em março, o subsecretário Adval Cardoso pediu ao diretor do presídio que deixasse o detento ligar para a família.
 O telefonema ocorreu no dia 16 de março, um sábado, sob argumento de “ligação telefônica de amparo à esposa”. A ligação durou um minuto e dois segundos e foi feita por um celular funcional do Centro de Detenção Provisória (CDP), às 15h16.