Uma das formas de evitar essas tragédias é estar em dia com a autovistoria predial (Lei 126/2013) e com a inspeção periódica de gás (Lei 6.890/2014).


Sendo locação por temporada ou por contrato padrão, a vistoria do imóvel dever ser minuciosa, abrangendo a parte elétrica, hidráulica e de gás.

Proprietários devem ter a consciência de que é preciso manter o imóvel em perfeitas condições de uso, não apenas na parte estética, como também no que diz respeito a todas as instalações. O trabalho de prevenção e de conservação tem que ser de proprietários e de inquilinos, cada qual na sua parte responsável.

É preciso fazer um laudo inicial de vistoria para verificar qualquer anomalia no imóvel, incluindo toda a parte do aquecedor e gás.

Orientações de segurança:

— Em caso de suspeita de vazamento de gás, não ligue ou desligue interruptores nem aparelhos elétricos. Feche o registro do gás e abra portas e janelas para ventilar o ambiente. Não use celulares ou telefones fixos. Afaste-se do local e ligue para a emergência.

— Ventilação – os equipamentos como fogões, aquecedores e churrasqueiras, entre outros, devem ser instalados em local com ventilação permanente, tanto na parte inferior quanto na superior, para renovação do ar.


— Não esconda o registro – ele precisa estar em local de fácil acesso e nunca escondido em armários embutidos ou por trás de outros móveis. Além disso, é importante usar o acessório próprio para cada tipo de instalação. A mangueira do botijão é feita de plástico e a do gás canalizado é feita de cobre flexível.
— A cor da chama – a cor da chama do seu fogão ou aquecedor indica a eficiência do aparelho. Para que a queima do gás esteja correta, a chama precisa ter a cor azulada e ser contínua. Se estiver amarelada, é sinal de alerta. Chame um técnico imediatamente.
— Não faça você mesmo – priorize a instalação do aquecedor na área de serviço. Além disso, é importante ficar atento aos pontos de instalação do equipamento. O correto é conectar gás com gás, água fria com água fria e água quente com água quente. A instalação invertida das conexões do aparelho em um único apartamento pode resultar na falta de gás em prédios inteiros e na vizinhança. Contrate um profissional especializado para fazer a instalação.
— Botijão e gás canalizado no mesmo local não combinam – adotou gás canalizado na sua residência? Dê um destino adequado ao antigo botijão fora da sua casa. Doe, devolva para a empresa que vendeu o botijão ou pesquisa outra forma segura de fazer isso.
— Cada coisa no seu lugar – a cabine dos medidores de gás não deve ser utilizada como depósito. Utensílios domésticos e produtos de limpeza devem ser guardados em outro lugar para que a cabine fique livre.
— Fique de olho – pense na instalação como na sua saúde, faça revisões regularmente. A frequência recomendada para uma revisão completa das instalações é a cada dois anos, mas, se notar algo errado, antecipe a visita do profissional especializado.
— Atenção redobrada durante reformas – se fizer obra, não altere as condições de segurança. Verifique por onde passam as tubulações de gás e mantenha os cabos elétricos longe delas. Não obstrua a ventilação dos locais que contam com equipamentos a gás e aproveite a reforma para remover o aquecedor para a área de serviço.
— Vai ficar muito tempo fora de casa? – em caso de ausência prolongada, feche os registros do gás e tire os aparelhos elétricos da tomada. 

Fonte: Extra