O governo aceita a doação de 10 milhões de libras do Reino Unido para combater as queimadas na Amazônia.
E retira o pedido de desculpas do francês Emmanuel Macron a Jair Bolsonaro como prerrogativa para aceitar a ajuda financeira de 20 milhões de dólares do G7.
O Planalto condiciona, no entanto, o recebimento à possibilidade de o Brasil poder gerenciar os recursos.
A mudança de tom atende os governadores dos 9 estados que abrigam a floresta; em reunião com Bolsonaro, eles foram unânimes: não há dinheiro para controlar o fogo.
Ontem, o francês Emmanuel Macron disse que a ajuda prometida pelo G7 será destinada aos 9 países da Amazônia e mencionou a liberação para a Colômbia e Bolívia.
Já o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, voltou a manifestar apoio a Bolsonaro e reconheceu que o brasileiro está trabalhando duro em relação aos incêndios.



Fonte: Bandeirantes