Com uma conduta política massacrante e a ambição de controlar o partido para onde migrar depois da crise com o PSL, Jair Bolsonaro praticamente sepultou as chances de migrar para uma legenda de grande ou médio porte, informa a coluna Painel da Folha de S.Paulo.  
Dirigentes desses partidos dizem ser “muito difícil” encontrar espaço para o presidente, seus filhos e cerca de 15 deputados, já que as direções nacionais e estaduais estão 100% estruturadas.   
Demonstrando arrogância, os bolsonaristas dizem que o chefe do Executivo pode migrar para um partido nanico, convencidos de que "ele é maior do que qualquer sigla”. São citados o Patriotas e o Partido da Mulher Brasileira, que para acolher Bolsonaro mudaria de nome e estatuto.   
Nos corredores do Congresso, um presidente de partido diz que acolher Bolsonaro é contratar o título de “Bivar do amanhã”, em referência a Luciano Bivar, o presidente do PSL massacrado por Bolsonaro e seu grupo.


Fonte: BRASIL 247
Postagem Anterior Próxima Postagem