Na manhã de terça-feira (03), membros da Associação de Jovens Estudantes de Rondônia – ASEJUR, sucursal Guajará-Mirim – entraram com ofício protocolar junto ao Ministério Público do Estado pedindo medidas cabíveis contra o ato de nepotismo que praticou o prefeito Cícero Noronha ao nomear sua esposa, Alessandra Cortez Jacques para o cargo de Secretária Municipal de Cultura, Esporte e Turismo desta cidade com rendimento mensais de R$ 4.350,00.
De acordo com o parecer do ofício que contem mais de 11 paginas, tal nomeação afronta os princípios éticos que deveriam nortear a bússola política. Ao nomear sua esposa para exercer cargo de relevo na Administração Municipal, o prefeito de Guajará-Mirim agride o que ordena a Constituição Federal, destrata o Estado de direito e falta com o devido respeito para com os cidadãos de bem que são obrigados a sujeitar-se a esta vergonha que de forma nojenta hoje opera a máquina pública em Guajará-Mirim.

Segundo os membros da ASEJUR, como num vicioso sintoma de atraso da espécie humana, o prefeito está tirando proveito de uma situação para colocar em prática uma violenta perversão: em vez de utilizar-se do cargo para servir ao Estado, inverte a equação e procura servir-se do Estado tanto para si como para sua família.
O que ocorre neste caso em realce nada mais é do que um estupro ao Estado de Direito e á Constituição. Além de ser esposa do prefeito, percebe-se de forma aberta ou pelos seus discursos que a pessoa não possui qualquer gabarito ou instrução para exercer tal cargo e que o prefeito ao nomeá-la está buscando apenas aumentar o orçamento familiar em detrimento do chamado interesse público.

O caso agora está nas mãos do Ministério Público.





Fonte: Portal Guajará | Jornalista Fábio Marques SRT 1046

Postagem Anterior Próxima Postagem