O presidente da Câmara Municipal, advogado Sérgio Bouez (PSB), participou na manhã de quinta-feira (03), no porto oficial de Guayaramerin na Bolívia, de ato solene de abertura dos portos na fronteira Brasil-Bolívia após o pânico causado pela expansão da doença Corona-Vírus.
Com a presença de autoridades, consulados, comerciantes, donos de empresas fluviais, autônomos atuantes no transporte aquaviário, moto-taxistas, membros da imprensa e pessoas de todos os estratos sociais, o evento foi aberto pela prefeita de Guayaramerin, senhora Helen Gorayeb, que disse estar muito feliz pelo retorno do tráfego entre os dois países e com a energia positiva que este retorno se injeta na vida dos cidadãos em ambas as cidades de fronteira.
Quando lhe foi passada a palavra, o presidente do Legislativo explicou que nesta primeira etapa, a abertura dos portos se restringe apenas às pessoas que residem nas cidades-gêmeas e que as pessoas que quiserem visitar estas cidades precisam apresentar cédula de identidade e comprovante de residência nas aduanas dos dois países. Disse também que existem prazos limites para o transporte, que deverá funcionar das 08 da manhã ao meio dia e das 14 às 18 horas. Alertou aos presentes que a pandemia não acabou e que todos tomassem os devidos cuidados e precauções.
Terminou dizendo esperar que o retorno do livre trânsito entre as fronteiras aqueça a economia mais uma vez nas cidades de Guajará-Mirim e Guayaramerin trazendo vida próspera, conforto e bem-estar social para ambos os povos vizinhos.


REUNIÃO COM ASSOCIAÇÕES AUTÔNOMAS DE TRANSPORTES FLUVIAIS
Após os atos célebres e festivos, o presidente da Casa de Leis participou de uma reunião com líderes dos serviços de transportes fluviais informais que ocorreu no Comitê Cívico de Guayaramerin, no andar superior do edifício portuário. Estas pessoas reclamam das barreiras impostas pela Receita Federal para a execução de seus trabalhos.
Ouvido todas as partes, Sérgio Bouez disse achar injustos os decretos impostos pelo Governo Federal em relação à situação. “Por conta destas decisões é que as coisas estão muito mal para o comércio, para a indústria, para as melhores relações com os nossos vizinhos e para as melhores condições de vida em ambos os lados da fronteira”.
Convicto de que este clima de paz e harmonia entre os povos de Brasil e Bolivia jamais deveriam ser quebrados por conta de decretos do Governo Federal, garantiu aos partícipes que vai elaborar um ofício com destino à bancada federal de Brasília com um plano de governo que atenda as necessidades das populações de fronteira, tanto do Brasil como da Bolívia. “As nossas relações comerciais e de amizade com nossos vizinhos sempre foram as melhores possíveis. A nossa proposta é reduzir ao mínimo possível os trâmites da burocracia no que se refere ao comércio de varejo que se realiza entre as duas cidades, assim como a livre navegação no trecho fluvial que interliga os dois países”, afirmou.
O documento que o presidente da Câmara vai elaborar com a proposta de dinamizar o intercâmbio comercial bilateral e facilitar o tráfego recíproco de cargas e produtos, deverá ser enviado à bancada federal de Rondônia ainda nesta sexta-feira.

Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem